Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A dança da vida

Dom | 29.07.18

O nosso ambiente e o nosso estado de espírito

      Quando era mais nova gostava de limpar a casa, lavar a loiça e passar a ferro, mas com o aumento da idade isso começou a ser uma chatice para mim. No entanto, atualmente, considero que é extremamente importante fazê-lo, pois limpando o ambiente em que vivemos é como se estivéssemos a limpar a nossa alma.

      Quem consegue viver na desorganização? Há quem consiga, mas a mim, tenho reparado que isso me causa stress.

      Ontem, com o lindo dia de sol que esteve dediquei a manhã à casa. Comecei por abrir as janelas todas, pois adoro sentir o ar a circular, como se o ar do exterior viesse purificar o ar que estava dentro de casa. Depois foi mesmo dedicar-me às limpezas!...

      Adoro a sensação que fica dentro de mim quando sinto a casa em ordem, a cheirar a limpo e arejada! Sem dúvida que, ultimamente, isso faz diferença no meu bem-estar e no meu humor durante o fim-de-semana.

     Com isto tudo ainda tive tempo de fazer uns bolinhos antes de almoço, ficando com a sensação de que a manhã tinha sido bem aproveitada!

 

      Afinal, limpar a casa não é assim tão mau. Antes pelo contrário! Concordam?

 

Até breve!

Qua | 25.07.18

A vida acontece todos os dias!

25.JPG

      Durante muito tempo ansiava pelo fim-de-semana para poder aproveitar os dois dias para fazer o que realmente gostava. Cheguei mesmo ao ponto de, a meio da semana, fazer uma lista de tarefas a fazer no fim-de-semana para não me esquecer de fazer nada daquilo que me dava gosto.

     Como sabem, sou uma pessoa ansiosa e, atualmente, considero que viver à espera do fim-de-semana só me causava mais angústia, porque os dois dias passavam tremendamente rápido e muitas vezes eu não cumpria a tal “lista de tarefas”, o que se tornava sufocante.

     Confesso que ainda hoje sou daquelas pessoas que ao Domingo à noite fica com a barriga apertadinha por ir começar uma nova semana e imaginem, eu adoro o meu trabalho… Fará se não gostasse… Ainda assim, o começo de semana é sempre complicado.

      Além disso, só durante o fim-de-semana é que tenho espaço/ tempo para fazer coisas que me dão gosto, daí eu centralizar tudo no fim-de-semana. E este facto ainda acontece atualmente, no entanto, quero muito melhorar neste aspeto. Tenho um trabalho cansativo e chego ao fim do dia completamente KO, mas não quero que isso afete o tempo que tenho para mim. Assim, quero começar a aproveitar as horas desde que saio do trabalho até que me vou deitar.

      A meu ver, fazendo durante a semana coisas de que gosto, ajuda a aproveitar todos os dias e a não me centralizar só no fim-de-semana.

     Acho que é aí mesmo que está o segredo. É óbvio que há coisas que não são possíveis de fazer durante a semana, mas temos de adaptar os nossos horários, a rotina, as atividades…

      Na verdade, o que antes estava na minha cabeça é que durante a semana era exclusivamente para trabalhar e no fim-de-semana para aproveitar, mas não tem, obrigatoriamente, de ser assim. Ainda tenho umas 4h/ 4h30 depois do trabalho para mim e para os meus.

     O que posso concluir é que já desperdicei muito tempo da minha vida a pensar que estava cansada do dia que tinha passado e isso não pode acontecer mais.

 

      A vida acontece todos os dias! Não só ao fim-de-semana.

 

      Qual a vossa opinião?

      Como aproveitam o tempo livre da vossa semana?

 

Até breve!

Dom | 22.07.18

De mão dada com o otimismo

23.jpg

      Olá a todos! Peço desculpa pela ausência!

      Hoje venho partilhar convosco uma reflexão acerca do otimismo presente na nossa vida.

      Na minha opinião, ser otimista não implica ter motivos para sorrir a todo o momento, mas sim ter a capacidade de, perante os obstáculos que nos aparecem à frente diariamente, conseguir ver o lado positivo e tirar proveito de todas as aprendizagens que a vida nos oferece.

    Eu não sou uma pessoa otimista, mas estou a ler um livro que já me fez perceber o porquê de não o ser (irei partilhar um post sobre o livro quando terminar a leitura) e, sinceramente, eu nunca tinha pensado nisso. No entanto, eu tenho vindo a tentar lutar contra mim mesma em certas situações para que a carga negativa que há em mim não seja tão grande. Confesso que há dias em que se torna mais fácil que outros, mas o segredo é não desistir. Não desistir, acima de tudo, de mim, porque somos nós que temos o poder de cuidar de nós, da nossa mente, do nosso equilíbrio e mostrar a nós mesmos que somos capazes não pelos outros nem para os outros, mas sim por e para nós mesmos.  

     Na verdade, se não estivermos bem connosco próprios, não conseguimos, sequer, ser boa companhia nem para nós, nem para quem nos rodeia e nos ama.

      Uma coisa que tenho tentado esquecer um pouco são as redes sociais, onde tudo PARECE PERFEITO. Já perdi essa ilusão, porque a perfeição não existe e, do fundo do coração, sinto que desde que me desliguei mais das redes sociais, me sinto mais livre, mais eu e que sei cada vez melhor que o meu mundo me faz feliz, com o que tenho e com o que não tenho. É essencial sabermos valorizar o que é realmente importante e desligarmo-nos daquilo que não nos preenche.

       Tenta acreditar em ti e nas tuas capacidades, todos os dias, mais um bocadinho e verás a diferença. Tens nas tuas mãos a decisão do caminho que escolhes para a tua vida. Faz uma boa escolha!

 

Até breve!